28 de fevereiro de 2010

A Estirpe (Trilogia A Estirpe, Livro 1)

Autor: Guillermo del Toro e Chuck Hogan
Género: thriller
Editora: Objectiva | Nº de páginas: 560
Nota: 4/5

Resumo (da capa): Os vampiros sempre estiveram aqui. Em segredo. Na escuridão. À espera.
Agora, chegou a sua hora.
Numa semana, Manhattan vai desaparecer.
Num mês, os Estados Unidos da América.
Em dois meses, o mundo inteiro.


Um Boeing 777 proveniente de Berlim aterra no aeroporto JFK e, de repente, pára na pista. As janelas estão fechadas. As luzes estão apagadas. Ninguém responde às chamadas da torre de controlo. Nenhum passageiro atende o telemóvel. Parece que o avião deixou de existir… O que os investigadores encontram lá dentro gela-lhes o sangue.

O que ao princípio parece apenas um vírus altamente contagioso revela-se uma ameaça aterradora. Os vampiros estão de volta e estão sedentos de sangue. A epidemia vampírica propaga-se a uma velocidade vertiginosa e, ao cabo de poucos dias, invade toda a ilha de Manhattan. Mas isto é apenas o começo. Porque existe um plano sinistro para conquistar rapidamente todo o planeta.

Guillermo del Toro, visionário realizador, e Chuck Hogan, escritor premiado, conjugam imaginações neste romance arrojado e épico sobre uma assustadora batalha entre homens e vampiros que ameaça toda a Humanidade. É o primeiro volume de uma empolgante trilogia e um extraordinário acontecimento literário internacional.


Opinião: Entrei no mundo dos vampiros pelos dois primeiros volumes da série Anita Blake… e fiquei por aí (tenho os restantes em e-book e é verdade que não nutro grande afecto por tal formato, mas gosto de ter sempre alguns quantos não vá aborrecer-me ao computador e apetecer-me ler alguma coisa). Depois peguei na saga da Meyer, que também não foi um sucesso por aí além, e li por fim o Drácula de Bram Stoker que, apesar de tudo, ficou um pouco aquém das expectativas. Apesar de ter lido pouco sobre vampiros, conhecia já bastantes variantes do mito (cortesia da Slayra, que também me emprestou este livro :P ) e foi com alguma curiosidade que parti para este livro, onde o vampirismo é como que uma “doença”.

A história começa com um avião a aterrar em Nova Iorque, mas algo parece correr mal já que ninguém sai e o avião parece mesmo “morto”. São chamados os epidemiologistas do CDC que descobrem que todos os tripulantes e passageiros, excepto 4 pessoas, se encontram mortos, sendo a causa desconhecida por não haver vestígios de sangue nem de luta. Na sequência da investigação deparam-se com um mito e uma epidemia, que se não for parada a tempo, pode destruir toda a Humanidade.

Este livro deve de ser lido como um filme, ou não tivesse também a assinatura de um realizador conceituado (que posso confirmar tem uma visão algo estranha de vampiros… já viram o Blade II? Aqui os vampiros são mais ao menos como os híbridos do filme), que tenho a certeza contribuiu para as descrições bastante visuais. Além disso, encontram-se bastantes clichés que podemos ver em filmes deste género: o herói com problemas pessoais, o professor idoso que tenta alertar do perigo e passar o seu conhecimento a um discípulo, um vilão que tenta dominar o mundo e um sem número de situações cujo desenrolar se adivinha a páginas de distância… Mas tudo isto, juntamente com as explicações científicas para explicar este tipo de vampiros e como se ligam com o mito vampírico, havendo uma ou outra achega ao livro de Stoker, não deixa de tornar a leitura compulsiva e viciante – dava por mim a pegar no livro em todos os segundos livres que conseguia encontrar, coisa que, recentemente, poucos livros têm conseguido fazer.

O mistério também se encontra bem estruturado, apesar de parecer ter algumas falhas aqui e ali (por exemplo, não percebi bem a consciência colectiva que parece coexistir com a individual e o porquê de 4 passageiros vivos para transmitir a “doença” quando também é transmitida pelos mortos/zombies), abrindo caminho para um segundo volume já que o final é deixado em aberto. Tenho algumas teorias mas aguardo ansiosamente o próximo volume.

3 comentários:

Tinkerbell disse...

tenho cá em casa para ler (emprestado) e fiquei contente com a tua opinião é que com tantos livros sobre vampiros e é tudo saído da mesma "fábrica" fico com um pé atrás apesar de adorar o tema! E adoro o blade :D

jinhos** bom fim de semana com mts leituras!

Canochinha disse...

Parece muito interessante, e se tu dizes que é viciante eu acredito :)

WhiteLady3 disse...

Este foi daqueles livros que me deu tudo o que pedia dele: gore ou nojice q.b., algum mistério e muita acção. Só o posso aconselhar. :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...