28 de dezembro de 2009

Guinevere, A Rainha do País do Verão (Trilogia Guinevere, Livro 1)

Autor: Rosalind Miles
Género: romance histórico
Editora: Planeta Editora | Nº de páginas: 440
Nota: 3/5

Resumo (da capa): Última numa linhagem de orgulhosas Rainhas, eleitas para governar as terras férteis do País do Verão; guardiã da Deusa Suprema; guerreira, amante e musa. Até agora, a mulher cuja história nunca foi contada…

Guinevere, a Rainha do País do Verão.

Através dos muitos reinos e ilhas da antiga Grã-Bretanha, Artur começou a sua busca para se tornar Rei Supremo. Mas enquanto combate para reclamar o seu direito, uma mulher bela e apaixonada espera para reclamar o seu destino. Guinevere, filha da Rainha Maire Macha e do Rei Leogrance, subirá ao trono do País do Verão, após a morte trágica de sua mãe. Das ondulantes brisas de Avalon, irá assistir aos feitos heróicos do novo Rei Supremo. Para depois o chamar para seu lado…

Com uma magia, rara e intuitiva, a célebre romancista e historiadora Rosalind Miles, confere brilhantemente vida à época mais importante e gloriosa dessa mulher lendária, revelando a coragem e paixão de Guinevere, bem como os seus tormentos, ao governar um reino verdadeiramente antigo.


Opinião: Esta não é primeira vez que ingresso no mito arturiano. Já antes havia lido, ou melhor, tentei ler a saga de Marion Zimmer Bradley, As Brumas de Avalon. Li o primeiro livro que não me cativou por aí além e não peguei em mais nenhum livro até que achei que devia de empenhar-me um pouco mais. Resolvi então pegar novamente nos livros, voltei a ler o primeiro volume e fiquei a meio. Não sei porquê mas eu até acho a história de Igraine interessante, o pior é quando passa para Morgana já que fico enfadada com a sua história. Achei que talvez o problema estivesse nesta personagem, por isso tentei mudar de táctica e ver esta história através de outros olhos femininos, daí a opção pela série da Guinevere mas confesso-me mais uma vez algo desapontada e quer-me parecer que o mito arturiano talvez não é para mim.

Apesar de dedicado a Guinevere, por vezes há capítulos em que acompanhamos outras personagens como Artur e Merlin. Achei tal interessante, sobretudo porque as personagens são bastante diferentes daquilo a que estava habituada. Merlin não parece assim tão forte, Guinevere não parece ser tão fraca e surpreendeu-me o facto de neste livro não ser cristã como em As Brumas de Avalon (não li tudo mas sei um pouco da história e vi o filme feito para a televisão) mas pagã e a chefe de uma região cuja população adora a Deusa. No entanto, a personagem mais interessante de todas é Morgana, o que após a experiência das Brumas não julguei que pudesse acontecer, mas mesmo assim está longe, assim como as restantes personagens, daquilo que eu esperava e que julgo tais personagens podem oferecer. Mas este livro não peca pelas suas personagens mas pela história. Esta é bastante previsível, não só por o mito ser bastante conhecido mas sobretudo por adivinhar-se os desfechos dos vários twists assim que estes aparecem. Houve alturas em que revirei bastante os olhos e apetecia-me espetar um par de estalos nas personagens por serem tão tapadinhas, sobretudo Guinevere.

Apesar de tudo, este livro consegue ser interessante por nos dar uma outra perspectiva do mito e, embora a vontade para ler os seguintes livros da trilogia não seja muita, penso que vou pegar neles porque tenho esperança (sobretudo devido a um dos títulos) que foquem também uma outra personagem do qual sei pouco, Galahad, e que me parece ser a mais interessante de todo este mito. Além disso, não deixa de ser uma alternativa à saga de Bradley, que espero voltar a pegar, num futuro quiçá próximo, com mais ânimo.

8 comentários:

Tita disse...

Gosto bastante da lenda do Rei Artur e ando há bastante tempo com esta colecção debaixo de olho, e pela tua opinião acho que se a ler, irei à procura na biblioteca ;-)

Diana disse...

Desta autora estou de olho noutra trilogia, desta feita sobre o mito de Tristão e Isolda.
Eu gosto bastante do mito Arturiano. Este ano tive que fazer um trabalho para a faculdade e descobri montes de coisas interessantes. Tanto que, se tudo correr pelo melhor, será o tema da minha tese de mestrado... :D

Mónica disse...

Não gostei nada nada dessa versão do mito Arturiano daí ter-me desfeito dos livros todos.

Prefiro muito mais a da MZB :)

WhiteLady3 disse...

Tita, realmente não aconselho a se gastar dinheiro nestes livros, apesar de ter comprado o primeiro vomlume por apenas 5€.

Diana, eu gosto dos mitos ingleses mas as versões que tenho lido (e visto, lembrando agora a série do Robin Hood *assobia inocentemente) têm-me deixado algo decepcionada. :( Mas gostaria de ler a obra de Mallory e T.H. White, talvez me façam mudar de opinião. :P

Mónica, foi um prazer aliviar-te dos livros. :P Eu ainda hei-de voltar a pegar nas Brumas, quem sabe se à terceira não é de vez...

Tinkerbell disse...

eu adorei os livros de marion zimmer bradley :D já lá vão uns anos talvez tenha lido no 10 ano e lembro-me de ter adorado mas foi uma maratona para os acabar lol...estes da guinevere já não me parecem tão apelativos!

WhiteLady3 disse...

Apesar de estar a gostar um pouco mais do 2º volume, não aconselho esta trilogia. Pode apresentar o mito de outra forma mas é um pouco aborrecido de tão previsível. Novamente é a Morgana que aparece como a personagem mais interessante, as restantes são demasiado insipientes.

A Pereira disse...

Se você quiser uma história muito boa e mais baseado na verdade leia os livros do Bernard Cornwell. São muito bons. E tem uma saga sobre o Rei Artur. Duvido que haja livros melhores que os dele.

Carla Barroso disse...

Já tive a oportunidade de ler e adorei!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...