4 de junho de 2014

Just One Day, Just One Year, Just One Night

Autor: Gayle Forman
Ficção | Género: romance
Editora: Dutton Books | Ano: 2013 e 2014 | Formato: e-book | Nº de páginas: 385+336+40 | Língua: inglês

Quando e porque peguei neles: 20 a 29 de maio. Basicamente porque sim. Pus-me a correr a app do Kindle para Android em busca de algo porque estava aborrecida e tinha preguiça de me levantar e ir à estante buscar um livro.


Opinião: Não é tão bom quando nos aconselham um livro e lemo-lo com mais nenhuma indicação para além dessa e um "tem Shakespeare", e depois esse livro agarra-nos e só pensamos nele e em lê-lo, de tal maneira que a meio do livro vamos a correr comprar o seguinte e fazer a reserva do conto que conclui a história e chegamos a desesperar e a contar os dias para receber o dito? Não é das melhores coisas do mundo? Pois foi exactamente isso que aconteceu com estes.

Há várias pessoas cujas recomendações vão logo para a lista a comprar sem eu sequer fazer um estudo prévio da coisa. Foi o caso deste, nem pensei duas vezes quando a Sandra mo recomendou e comprei logo o e-book. Claro que ler é mais difícil *aponta para os vários livros a ganhar pó na estante* mas sei lá eu porquê comecei a ler isto e pronto, ainda bem que o fiz. Ia salvaguardada, tinha sido recomendado e tinha Shakespeare, mas não deixou de ser com relativa surpresa que de repente me apanhei num livro ao estilo do filme "Before Sunrise" e fiquei logo colada à história e investida nas personagens.

O primeiro, Just One Day, é narrado por Allyson, ou Lulu, na primeira pessoa e dividido em duas partes. Na primeira vemos então o fatídico dia em que a sua vida mudou, em que ela conheceu aquele que julgava ser o amor da sua vida e o perdeu também. Mas mais que encontrar um rapaz, Allyson como que se encontrou a si própria, para se perder em seguida, afundando-se numa depressão de que só Shakespeare consegue tirar. Acompanhamos então a viagem de auto-descoberta de Allyson enquanto enceta também um périplo para reencontrar o amor perdido.

Mas Willem também a procura e acompanhamos a sua história em Just One Year, que passa então a mostrar a sua perspetiva. Também está dividido em duas partes mas inversas ao primeiro, até porque a sua história, ainda que também seja de auto-descoberta e por isso semelhante, não deixa de ser bem diferente. Se Allyson como que forma a sua nova personalidade forte em Paris, já Willem é abalado e a confiança que demonstrava dá lugar à insegurança e incertezas, levando a ponderar as suas escolhas, se a vida que julgava cheia afinal não é vazia por lhe faltar algo, um sentido para a vida. Encontra-o em Lulu para se "esquecer" dela e tal como ela acaba por entrar numa viagem que culmina num outro dia em que tudo volta a mudar.

Por fim, no conto Just One Night o narrador é omnisciente permitindo-nos ver os dois lados, as dúvidas e (in)certezas de ambos aquando do novo encontro. Eis que a viagem termina e percebemos que ambos chegaram ao destino.

Como não gostar de um livro com Shakespeare, semelhante à trilogia "Before Sunrise" e com um toquezinho de Persuasão, com a ideia do amor perdido e reencontrado quando ambos se tornam naquilo que precisavam de ser para se merecerem? E até tem acidentes ou, como eu gosto de chamar, "coincidências assustam"... É verdade que sou cética nisto do amor à primeira vista ou insta-love, mas há histórias que me levam a desejar que realmente tais coisas acontecessem na vida real. E se a relação neste livro parece por vezes idealizada, gostei que houvesse alguma realidade quando tentam chamar Allyson à razão, pois Willem a princípio parece realmente um player (não que isso torne impossível o ficar impressionada pelo moço e desejar que as coisas dêem certo). No entanto, isso foi bem utilizado na sua versão da história, não negando o facto mas reabilitando o seu lado de quebra-corações. Apesar disto, tenho de dizer que achei a sua história menos conseguida que a de Allyson, talvez por me identificar mais com ela e se encontrar rodeada de outras personagens também elas mais interessantes como Dee, mas ainda assim convincente e emocionante q.b. para me manter vidrada e a clamar por mais. A sério, com as três histórias corri Kindle e tudo o que era app para aproveitar todos os momentos livres que tinha para ler. Não sei se estão a ver bem a loucura para eu ler tudo isto em praticamente uma semana! O_o

Em suma, está mais que recomendado. Talvez não seja apelativo para quem não gosta da nova onda New Adult ou coisa assim e mesmo eu duvido que se me tem apanhado noutra altura talvez a doideira não tivesse acontecido, mas olhem, apanhou-me e adorei-o.

Veredito: Vale o dinheiro gasto.

3 comentários:

juh lima disse...

Sabe se tem o just one night em portugues ? Estou entrando em sincope para poder lê-lo !

juh lima disse...

Sabe se tem o just one night em portugues ? Estou entrando em sincope para poder lê-lo !

WhiteLady3 disse...

Em Portugal foi editado pela Editorial Presença com o título "Apenas um dia".

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...