20 de junho de 2011

Verdade ou Consequência? (6)

Philippa Gregory

Fui desafiada pela Carla para participar em mais um "Verdade ou Consequência" e resolvi aceitar o desafio, tendo escolhido "Verdade".

Quem me conhece sabe que um dos meus géneros preferidos é o Romance Histórico, tendo como uma das minhas autoras de eleição Philippa Gregory e os seus livros sobre os Tudor. Quem é que não se lembra de ter falado na disciplina de História de Henrique VIII e as suas seis mulheres? Julgo que foi matéria do 9º ano e surgiu o bichinho de querer saber mais. No entanto, só muito mais tarde, é que li e fui vendo documentários sobre tal assunto.

Philippa Gregory é uma entusiasta de História, nomeadamente sobre o período Tudor, com livros que me fizeram tornar fã da autora. Ela consegue unir os factos históricos, as intrigas e os jogos políticos, com muito engenho, fazendo com que, nós leitores, sintamos que estamos a viver naquela época, mantendo sempre o nível de interesse na história, apesar da quantidade de páginas habituais nos seus livros. A corte dos Tudor, foi uma corte cheia de intrigas e de pessoas movidas pela ambição e poder, sendo o palco perfeito para um bom romance histórico.

A série Tudor é composta pelos seguintes livros, enunciados segundo a ordem cronológica de acontecimentos que difere da qual foi escrita:
  • Catarina, a Princesa Determinada
  • Duas Irmãs, Um Rei
  • A Herança Bolena
  • A Espia da Rainha
  • O Amante da Rainha
  • A Outra Rainha

Nos três primeiros livros, a história foca-se essencialmente sobre Henrique VIII e as suas mulheres, excepto Jane e Catarina Parr, que não têm protagonismo em nenhum dos livros. Philippa Gregory conseguiu captar o carácter de Henrique VIII, que sendo muito mimado, tornou-se um homem cruel, fazendo as leis conforme o seu humor.

Destes três primeiros livros, o meu preferido é o Catarina, a Princesa Determinada, que tendo sido o segundo livro que li da autora, serviu para consolidar a minha preferência. Em Catarina, a Princesa Determinada, conhecemos um pouco os seus pais, os Reis Católicos de Espanha (Aragão e Castela), a sua educação como princesa, bem como somos transportados para um mundo de odores e cores, em Alhambra. Ficamos a conhecer também a sua estadia em Inglaterra e todas as dificuldades que teve de enfrentar. Catarina foi uma mulher persistente, corajosa e também ambiciosa.

Em A Espia da Rainha, ao contrário dos restantes livros, a personagem é fictícia, no entanto, Philippa Gregory mostrou que consegue interligar perfeitamente os acontecimentos históricos dos reinados de Maria e Isabel Tudo, com uma história que, apesar de ser fruto de imaginação da escritora, poderia ter sido real.

O livro Amante da Rainha, tal como o título indica, foca-se bastante no romance entre Isabel e Robert Dudley, bem como a instabilidade política no início do reinado daquela.

Finalmente, em A Outra Rainha a personagem central é a Rainha Maria da Escócia. Esta história tornou-se interessante pelo facto de nos dar a conhecer a vida de Maria da Escócia, no entanto, a par com o anterior, apesar de manter o bom nível de detalhes históricos, achei que não estaria tão bom como os restantes.

No que respeita à série da Guerra dos Primos ou Guerra das Rosas, período anterior ao Tudor, ainda só estão publicados dois volumes: A Rainha Branca e A Rainha Vermelha. No entanto, estão previstos pelo menos mais 2 livros:
  • The Lady of the Rivers: Cuja personagem principal será Jacquetta, a mãe de Isabel Woodville (A Rainha Branca) e que se prevê que seja lançado, na versão original ainda durante 2011;
  • The White Princess: Isabel York, filha de Isabel Woodville e Eduardo IV, mulher de Henrique VII e mãe de Henrique VIII.

Em A Rainha Branca temos a história de Isabel Woodville, uma jovem viúva plebeia, que se apaixona e casa com o recente Rei Eduardo de Iorque. Um livro que para além de focar a relação entre Isabel e Eduardo, do seu relacionamento com a família, descreve-nos de forma entusiasta as batalhas e conspirações em torno das personagens e que influenciam o destino destas. Foi também agradável a forma como a autora misturou os factos históricos, com a lenda de Melusina, através das pragas e pequenos feitiços que Isabel lançava aos seus inimigos.

No segundo livro da série, A Rainha Vermelha é Margarida Beaufort, descendente da casa de Lancaster, uma mulher totalmente movida pela ambição de retirar os Iorques do trono, colocando o seu filho – Henrique Tudor – no lugar destes.

A acção temporal dos dois livros, decorre praticamente em paralelo, o que nos permite ter as duas perspectivas de episódios comuns.

Muito interessante perceber todas as movimentações e interesses políticos à volta de um trono, bem como a forma como os Tudors chegaram ao poder.

Quem gosta de romance histórico e de histórias cheias de intrigas, Philippa Gregory e os seus livros da série Tudor são uma boa opção de leitura.

Este artigo foi escrito pela Tita, do blog O Prazer das Coisas, que deste modo suscitou a minha curiosidade em ler os livros desta autora. ;)

7 comentários:

Diana disse...

Já há algum tempo que ando a querer ler os livros da Phillipa Gregory e agora fiquei ainda mais certa que tenho que o fazer!
Adoro romances históricos, principalmente se forem passados no período Tudor, um dos meus preferidos da história de Inglaterra.
Com este post, fiquei ainda mais curiosa sobre os livros desta autora. :)

Cat SaDiablo disse...

Eu adoro os livros dela! Se bem que ainda só li 2, e fora de ordem :P Li Duas irmãs, um Rei e O Amante da Rainha (período em que se baseia o filme Elizabeth, já agora :))
Gosto imenso da sua prosa, e o facto de se centrar num período da história inglesa que me fascina, faz-me adorar os livros.
Gostei do texto :)

WhiteLady3 disse...

Já somos duas Diana!

Ainda bem que gostaram do texto! Eu adorei ler e saber que a autora não se foca só no período Tudor mas também no da Guerra das Rosas, que foi um tema que abordei muito superficialmente mas pelo qual tenho grande curiosidade. :)

Tita disse...

Gostei imenso de participar e fico contente por terem gostado do texto. E se vos convenci a ler os livros da autora, melhor ainda =)
E agora só agora é que reparo que não falei no "duas irmãs, um rei", que foca a relação de Henrique com as duas irmãs Bolena, e em que o livro vale muito mais do que o filme.
*Sorry*

WhiteLady3 disse...

Ninguém reparou. :D

Laura disse...

Devo confessar que nunca peguei nestes livros porque as capas me repelem um pouco o.o tinha a sensação de ser mais uma tentativa de história que parecia mais promissora do que realmente aconteceria. Enganei-me. LOL
Vou dar uma vista de olhos :)

Landa disse...

Nunca li nada da autora mas sempre tive curiosidade em experimentar, até porque gosto muito de Romances históricos. Como "Duas irmãs, um Rei" foi o primeiro a ser editado já o tenho na minha lista de desejos. No entanto, aproveito para perguntar por qual eu devo começar, uma vez que "Catarina, a Princesa Determinada" encontra-se primeiro cronologicamente.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...