1 de junho de 2009

Crepúsculo (Luz e Escuridão, Livro 1)

Autor: Stephenie Meyer
Género: Fantasia urbana
Editora: Gailivro | Nº de páginas: 480
Nota: 3/5

Resumo (da capa): Em três pontos, eu estava absolutamente segura.

Em primeiro lugar, Edward era um vampiro.

Em segundo lugar, uma parte dele – e eu não sabia qual era o poder dessa parte – ansiava pelo meu sangue.

Por fim, em terceiro lugar, eu estava incondicional e irrevogavelmente apaixonada por ele.


Opinião: Sinceramente, não achei nada por aí além mas consigo ver o porquê de atrair tanta gente, nomeadamente moças. No entanto, confesso que o vampiro não me seduziu por aí além. Digam o que disserem parece-me um stalker e eu não gosto de stalkers. Mas passando ao livro…

Bella muda-se para Forks, após a sua mãe se casar pela segunda vez com um jogador de baseball, o que faz com que viaje bastantes vezes para não ficar longe dele. Bella, que com 17 anos não pode dar-se a esse luxo, decide então ir viver com o pai. Eis que conhece Edward Cullen, que reage de forma bastante estranha assim que a conhece, mas Bella não desiste até descobrir o segredo deste e da sua família – um grupo de vampiros que coloca em causa tudo o que sabia sobre vampiros. Mas há mais perigos, já que Bella, afinal de contas, parece ser um prato bastante apetitoso.

As personagens são bastante básicas, praticamente unidimensionais. Bella é uma rapariga que, claramente, não tem a cabeça no sítio (ok, está apaixonada e isso pode desculpar este problema, em parte…), é algo desastrada, pensa sobretudo no bem-estar dos outros e (gosta) parece estar constantemente a correr perigo de vida. Edward é belo, é lindo, de uma “beleza estonteante”, de uma “desconcertante perfeição” e gosta de namorar a comida. Ah, também parece que é inteligente (apesar de tudo já fez o secundário várias vezes) mas isso não o impede de pensar melhor naquilo que faz e aproxima-se demais de Bella, que salva constantemente apesar de o próprio dizer que ele é o maior perigo de todos para ela. As personagens secundárias são também igualmente bastante superficiais e foi difícil preocupar-me o suficiente com algum deles, nomeadamente com os vampiros que são capazes de tudo e tão perfeitos naquilo que fazem. Por acaso, as personagens humanas parecem bem mais interessantes.

A história tem pouca acção, centrando-se sobretudo na relação dos dois protagonistas. Confesso que gostei mais da parte em que Bella tentava perceber a natureza de Edward, sendo que a partir do momento em que começam a andar há demasiado mel para o meu gosto, chega a ser um pouco enjoativo, revirei por várias vezes os olhos (nunca um bom sinal), e pensei mesmo deixar o livro a meio. No entanto, o diálogo entre o casal não deixa de ser interessante, sobretudo para perceber as reviravoltas que Meyer introduziu ao mito vampírico, se bem que ache a cena da pele brilhar à luz do sol um pouco demais. Mas sendo os maiores predadores, os mais letais, deviam ter alguma coisa que os denunciasse certo? Pelo menos, só assim é que a minha mente consegue aceitar isto.

Apesar de tudo, é um livro que se lê bem, como se fosse um diário de outra pessoa e nós (leitores) muito cuscos, já que a história é contada sob o ponto de vista de Bella. É um livro indicado para quando se pretende algo leve, depois de um dia algo stressante. No entanto, se toda a série não me tivesse sido emprestada, penso que não seria capaz de ler os restantes já que este se safa bem como um stand-alone, apesar de deixar em aberto algumas questões. Assim sendo, segue-se Lua Nova.

Editado a 1/Jan./2010: Porque a saga era para ter continuado sob o ponto de vista do Edward, podem ler uma crítica ao rascunho do quinto livro, que retrata os eventos deste livro mas sob o ponto de vista daquele, aqui.

11 comentários:

Mónica disse...

Se não gostaste deste primeiro volume, então acho que nem vais ser capaz de acabar os próximos :S

WhiteLady3 disse...

Quase a 100 páginas do segundo volume e não estou a desgostar... Finalmente o Edward foi-se embora! :D Mas vamos ver que sentido a história toma...

Livros de Bia disse...

Ai que bom que pelo menos alguém concorda que Crepúsculo não é a oitava maravilha do mundo!
A escritora foi é muito esperta aproveitando um tema na moda como vampiros e misturando com adolescentes à lá High School Musical!!! Não tinha como não virar sucesso!

Bjs

Ana disse...

Parece que concordamos em grande parte das coisas que correram bem e mal neste livro. Espero que gostes mais do segundo (eu gostei), mas o terceiro estou a ler e ... bem, digamos simplesmente que volta a ter Edward e isso não me apela muito.

Paula disse...

Eis um livro que está na estante por ler, confesso que não o vou ler nem tão cedo.
Abraços ;)

WhiteLady3 disse...

Bia, não é a oitava maravilha do mundo e duvido mesmo que seja uma maravilha da literatura. :P Mas entretém até certo ponto, não foi uma leitura tão má como estava à espera.

Ana, o segundo volume até estava a ser interessante, mas depois da transformação de Jacob parece esmorecer um pouco... No entanto tem mais mistério, pelo que estou a preferi-lo ao primeiro. :)

Paula, é um livro que se passa bem sem se o ler... Mas se quiseres uma leitura leve é uma boa hipótese. ;)

slayra disse...

Eh pá, terei eu sido a única que não conseguiu acabar o livro porque o achei secante??? Atá tenho vergonha! LOL.

WhiteLady3 disse...

lol Não tenhas! Pensa assim, eu consegui ler este e estou a ler o segundo, mas acabaste o primeiro volume do House of Night (que foi recentemente publicado em português) e eu não, nem quero mais chegar perto dele. :P

Mas entendo o porquê de teres deixado o livro a meio. Também pensei em deixá-lo, mas obrigava a mim própria a virar a página e continuar... No entanto, o segundo está a ser um pouco mais interessante. Pelo menos não há tanto mel e ela quer tanto desafiar a sorte que não deixamos de pensar "é desta que ela se mata e isto acaba?! vá lá, mata-te!!" *assobia inocentemente*

slayra disse...

Lol, já tentaste ler o "Marcada"? Pessoalmente, tendo lido o original e um excerto da tradução, penso que é da tradução... um pouco. Não é que o livro seja mau, mas há melhores.

Mas sou persistente, hei-de conseguir ler o Crepúsculo! Como diz o Mr Darcy na versão 1995 de Orgulho e Preconceito: "I shall conquer this!" (e não é tão triste que eu tenha visto aquilo tantas vezes que até sei algumas falas de cor?)

slayra disse...

Ah, e sabemos que ela não morre no livro 2... ainda há o 3; e o 4... e o 5 (erm, há um quinto livro??) :D

WhiteLady3 disse...

Sim tentei, na feira do livro deram-me uma daquelas amostras e quando cheguei a casa, foi a primeira coisa que li. Soube a pouco e não me despertou o interesse para mais. :/ E não é triste citar o Mr Darcy. :P

Quando falas em quinto livro, estás a falar nos livros da Meyer ou das Cast? Acho que a Meyer se ficou pelo 4º livro, mas penso que a House of Night era para ter 6 ou 7 volumes. :/

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...