8 de setembro de 2010

Sangue Furtivo (Sangue Fresco, Livro 5)

Autor: Charlaine Harris
Género: fantasia urbana
Editora: Saída de Emergência | Nº de páginas: 254
Nota: 4/5

Resumo (do livro): Sookie Stackhouse, uma empregada de bar na pequena vila Bon Temps, não é alheia a experiências sobrenaturais. Mas agora estranhos acontecimentos estão a mexer com a sua família e nunca antes o sobrenatural esteve tão próximo. Quando Sookie repara que os olhos do seu irmão Jason começam a modificar-se, ela percebe que ele está prestes a transformar-se numa pantera pela primeira vez – uma transformação mais rápida e intuitiva do que a maioria dos metamorfos que ela conhece.

Mas a preocupação de Sookie torna-se mais intensa e assustadora quando um atirador furtivo aponta a mira para os metamorfos locais, e os novos “irmãos” felinos de Jason começam a suspeitar que ele pode estar por trás dessa mira. Sookie tem até à próxima lua cheia para descobrir quem está envolvido nestes ataques... a menos que o atirador decida encontrá-la primeiro...


Opinião: Depois do livro anterior, peguei neste com grandes expectativas. Pareceu-me uns furos abaixo, mas mesmo assim superior aos dois primeiros. Um dos acontecimentos pelo qual mal podia esperar pelo desenvolvimento diz respeito a Jason, irmão da protagonista, que havia sido mordido no livro anterior. Felizmente parece que a coisa correu bem, mas que consequências terá para o seu futuro? Outra questão que me interessava diz respeito às relações amorosas da Sookie. (Dêem-me um desconto, sou gaja e gosto deste tipo de coisas quando não são demasiado lamechas. :P ) Parece que a autora quer-se divertir com a personagem e dá-lhe bastantes pretendentes sobrenaturais, já que para os humanos ela é vista como sendo diferente e alguém a manter longe. Mas será necessário tantos? Perdi conta às vezes que é beijada (e lambida) por pretendentes, mas deixem-me tentar enumerar: tivemos Bill, Eric, Alcide, Sam, Calvin e Quinn. Esqueci-me de algum? Tudo bem, gosto de personagens femininas fortes, que se consigam desenrascar sem necessitarem propriamente que o cavaleiro andante as venha salvar. Também não faço questão que se guarde para a sua alma gémea, não me faz impressão que tenha várias aventuras amorosas, mas não será um pouco demais? Triângulos ou quadrados amorosos até gosto, mas 5 ou mais vértices numa relação (tudo bem, ela não está com nenhum mas mesmo assim, não há mais mulheres no mundo sobrenatural?) parece-me um pouco demais. :P

Ora bem, posto isto passemos à história. Pareceu-me muito bem conseguida apesar de os mistérios não serem assim tão misteriosos. Não digo rapidamente, mas consegui descobrir quem estava por detrás dos ataques aos metamorfos e a revelação não trouxe, por isso, surpresa nenhuma. Já a outra, porque temos sempre dois crimes, também não surpreende por aí além. Destaco, no entanto, a incursão no mundo lobisomem, onde vemos a luta pela chefia da alcateia de Shreveport, a que Alcide pertence. Também percebemos um pouco melhor as relações entre vampiros, nomeadamente como a relação criador-progenitura é forte mas também como se relacionam entre si, em termos económicos, digamos assim. Também gostei de rever Claudine, que tínhamos conhecido no livro anterior e que aparece sempre quando Sookie mais parece necessitar de auxílio. Porque será? :P

Esta série não será um marco da literatura, mas sem dúvida de que é interessante de seguir, ou não se metesse a protagonista em apuros constantes.

6 comentários:

slayra disse...

Exactamente o meu problema com os livros da Anita Blake (excepto que a protagonista desses é passivo-agressiva e tem a mania que é homem). Por mim não me importo com triângulos amorosos ou mesmo várias relações casuais, mas "haréms" (e quem vê anime sabe do que falo) fazem-me uma certa confusão.

WhiteLady3 disse...

LOL A Sookie não tem propriamente um harém mas aborrece um pouco ver tudo o que é criatura sobrenatural atrás dela. No sexto livro percebe-se porquê, mas mesmo assim... Continuo a preferir figuras geométricas amorosas com poucos vértices. :P E achei tão estúpido a parte em que um deles a lambe. *facepalm*

slayra disse...

Lol, devia ser um lobisomem não? Eheh.

Aqui tens vicia-te (server 5): http://caesary.aeriagames.com/?rune=1

WhiteLady3 disse...

Não é lobisomem... é um weretiger, o que deixa a pensar noutras coisas que não convém serem para aqui chamadas. :P Mas ainda assim prefiro o vampiro viking, e na série o "dark and brooding" :D

Estás a querer viciar-me? *corre a experimentar o jogo*

slayra disse...

Oh vai dar ao mesmo, é tudo a transformar-se num animal qualquer. Realmente agora fizeste-me pensar em algo desagradável, lol.

Não, nem sei se faz o teu género... ^^

Marcelina Gama disse...

Fiquei com a mesma opinião em relação ao excesso de pretendentes. Do primeiro livro em que Sookie era caracterizada como alguém que nem se achava muito gira, mas que até tinha os seus atractivos (peito grande), passa a mulher fatal neste.
Parece que tudo o que mexe quer "caça-la". :)

Acho também que os livros estão a perder originalidade. Ainda me falta ler mais um, vamos ver se este agrada mais.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...