29 de novembro de 2008

Love and War (North and South, Livro 2)

Autor: John Jakes
Género: Ficção histórica
Editora: Dell | Nº de páginas: 1087
Nota: 1/5 – não acabei

Resumo (da capa): The Hazards and the Mains – the first fatal shot fired at Fort Sumter divided them irrevocably with loyalties more powerful than family ties. The young would clash on the bloody battlefields of Bull Run and Fredericksburg, while in intrigue-ridden Washington and Richmond strong-willed men and beautiful women would defend their principles with their lives... or satisfy illicit cravings with schemes that could destroy friends and enemies alike, caught in the fury, the glory, the surging drama of... LOVE AND WAR.

Opinião: Eu tentei, a sério! Tentei ler, tentei pegar nele, tentei motivar-me para ler mais uma página, mais uma linha, mais uma palavra que fosse, mas não deu. Desisti por volta das 300 páginas, o que já foi um feito, a meu ver.

O primeiro livro até foi interessante, apresentou-nos as principais personagens, colocou-nos na época, que a princípio seria interessante até porque pouco sei sobre a Guerra Civil Americana, mas a forma como o autor resolveu abordar este livro foi completamente um “turn-off”, por assim dizer. Eu entendo o desejo do autor em debruçar-se sobre a política, dar a conhecer os dois lados da contenda e tentar dissecar ainda mais esses lados, mostrando que nem seriam assim tão diferentes, que algumas pessoas apesar de estarem num lado não lutavam pelos mesmos ideais. No entanto, fá-lo de uma maneira tão secante, sem ritmo nem acção! Se calhar sou eu que estou mal habituada, talvez devido aos áudio-livros do Sharpe, à saga do George R.R. Martin, que nos levam até ao meio da batalha, mas este livro não tem nada disso. A única batalha com que me deparei consistia, na sua maioria, na descrição de pessoas a correr, a fugirem do local! Da batalha pouco ou quase nada.

Além disso tem tantas personagens e tão pouco desenvolvidas, que pouco me interessava saber o que as esperava. Não consegui identificar-me, preocupar-me com uma personagem que fosse. Se isso até se entendia no primeiro livro, já que servia de introdução às mesmas, esperava que as mesmas fossem mais aprofundadas, tivessem uma atitude dinâmica. George Hazard por exemplo, em vez de dizer o que pensa, parece passar a maior parte do tempo a andar de um lado para o outro a moer e remoer os assuntos.

Parece que lemos e lemos e nada acontece. É frustrante. Desisto de ler, prefiro a série televisiva.

3 comentários:

Canochinha disse...

Realmente, é pena... mas quando é assim, mais vale não insistir ;)

WhiteLady3 disse...

Pois, foi o que eu achei. É que parece mesmo que não se avança na história. Odeio quando isso acontece.

Pedro disse...

Eu também não gosto nada de deixar livros por ler, mas... A leitura é para ser um prazer! O próximo será melhor! ;)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...