22 de julho de 2013

A Midsummer Night's Dream

Autor: William Shakespeare
Ficção | Género: peça de teatro - comédia
Editora: Wordsworth Classics | Ano: originalmente publicado em 1596(?) | Formato: livro | Nº de páginas: - | Língua: inglês

Como me veio parar às mãos: até aqui tinha lido as obras em e-book, já que no ano passado fiz download das obras completas no site do Project Gutenberg, mas entretanto comprei as Complete Works e foi então o livro físico, que é como que a reprodução do First Folio, que li. Não coloco por isso as páginas

Quando e porque peguei nele: 14/julho/2013. Peguei-lhe porque conta para os desafios: Monthly Key Word Challenge - Julho, Temporada William Shakespeare - Acto II e estou a ver se consigo justificar que é um clássico que tem lugar num país que nunca visitarei, uma das casas do Book Bingo, porque apesar de a acção ser numa floresta de Atenas, podemos argumentar que se passa no país das fadas, certo?


Opinião: Não tem a beleza nem a introspecção de um Hamlet ou Macbeth, mas nem por isso deixa de ser brilhante. Tendo por cenário as florestas de Atenas, seguimos 3 histórias que se interligam: a história de dois casais, por assim dizer, a de Oberon e Titania (reis das fadas), e a de um grupo de actores amadores. E tudo isto acontece como um sonho numa noite de verão. :D

Gostei da história dos casais, ainda que a devoção de Helena a Demetrius me tenha parecido demais. Ele chega a ameaçá-la de morte e está tudo bem? Tirando isso, a parte dos desentendidos e do erro de Puck está engraçado, com triângulos amorosos bem conseguidos e uma cena engraçada entre os 4. Helena, parvoeira amorosa à parte, pareceu-me uma boa personagem e a que mais desenvolvimento acaba por ter. Gostei de ver a sua reação quando, de repente, tanto Lysander como Demetrius ficam apaixonados por ela. Não estando habituada a tal atenção recusa os avanços, mesmo do homem que ama, pensando que se trata de uma brincadeira de mal gosto e não querendo ser magoada.

Oberon também me pareceu uma boa personagem, com um bom coração, apesar de ser o temível rei das fadas e querer prejudicar a sua rainha, Titania, pedindo a Puck para que este faça Demetrius se apaixonar por Helena quando vê que ela não é correspondida. Claro que é isto que dá origem aos desentendimentos, mas Puck é que acaba por confundir os dois atenienses...

A parte dos actores pareceu-me a mais aborrecida mas a peça de teatro, pois não podia deixar de existir a peça dentro da peça, acabou por ser o elemento mais engraçado para mim.

Continuo a preferir as tragédias mas não deixou de ser uma belíssima leitura com visões interessantes sobre o amor, sobressaindo o amor à primeira vista, ou talvez nem tanto à primeira vista mas o amor pela beleza física, com a tal poção aplicada nos olhos, assim como o amor verdadeiro de Hermia e Lysander, que acaba por vencer, por assim dizer, no final com o pai a ter que aceitar a união de ambos. Não achei piada ao facto de Demetrius e Helena ficarem juntos, ela parece-me boa demais para ele e será demais pensar que sendo o amor baseado numa poção, coisa boa não poderá vir dali? O efeito é permanente? Qual seria a reação de Demetrius caso o efeito passasse? Qual o destino da pobre Helena? Enfim... Tirando isso, é do Shakespeare e aconselho.

Veredito: Vale o dinheiro gasto.

5 comentários:

folhasdepapel disse...

Ultimamente tenho estado a ler Shakespeare e este é um dos que está em espera. São tantos e tão perfeitos que é difícil saber por onde começar! :)
Boas leituras!

WhiteLady3 disse...

Eu comecei a ler o autor no ano passado e comecei logo pelas tragédias! xD Hamlet foi o primeiro e até agora é o meu preferido. :) A próxima peça deve de vir a ser uma histórica, talvez o Ricardo II já que no ano passado vi a adaptação com o Ben Wishaw.

folhasdepapel disse...

Também adorei Hamlet mas, mesmo assim, Romeo e Juliet é o meu preferido... De longe! :D
Algumas adaptações são muito boas. Viste Hamlet com a Kate Winslet? Adorei esse filme!

Leonor Fernandes disse...

Shakespeare não é a minha praia, mas gostei muito de ler esta obra :)

WhiteLady3 disse...

Folhas de Papel, vi sim ou não fosse uma adaptação do Kenneth Branagh com o próprio! :D Acho que deixei a opinião por aqui algures. É impressionante que seja um filme de 3 horas e em nenhum momento o achei aborrecido. Também vi a adaptação com o Mel Gibson e é interessante ver as diferenças entre ambos tendo, no entanto, o mesmo texto por base. :)

Leonor, eu nunca pensei que Shakespeare pudesse vir a ser a minha praia, conhecia as suas peças mais famosas por ter visto filmes e por terem tão grande impacto na cultura popular e só no ano passado me dediquei a conhecer mais do autor. Prefiro de longe ver as peças representadas, em filme ou em teatro, mas as suas palavras escritas também tem alguma beleza. :)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...