4 de maio de 2012

Dark Lover (Black Dagger Brotherhood, #1) [e-book]

Autor: J.R. Ward
Ficção | Género: fantasia urbana
Editora: Signet | Ano: 2005 | Formato: e-book | Nº de páginas: - | Língua: inglês

Quando e porque peguei nele: 22/abr/2012 a 27/abr/2012. Ouvia falar tão bem que resolvi pegar nele.


Opinião: Tinha lido críticas algo díspares sobre este livro mas o melhor é mesmo julgá-lo por nós próprios, assim sendo peguei nele mas rapidamente percebi que ia ser uma leitura complicada.

Desde cedo dei por mim a revirar os olhos e deixem-me que diga que há um limite para o revirar de olhos e com este livro puxei para além do limite, temi mesmo ficar com um problema e passar a olhar para o meu cérebro, pois reviranço de olhos foi uma constante durante a leitura. Desde o vampiro supostamente rijo e que por isso veste cabedal dos pés à cabeça, usa óculos escuros e ouve rap (tão mauzão que ele é! *ironia* ), mas que depois se perde de amores e quer fazer conchinha com a mulher que acaba de conhecer e tem de proteger mas por quem se apaixona assim que lhe mete a vista em cima *eye roll*; à dita mulher que depois de uma tentativa de violação vai para a cama com um homem que acaba de conhecer *alto reviranço de olhos*, quase tudo era motivo para revirar os olhinhos. (Sim, muito repetitiva, eu sei...)

A relação do casal protagonista baseia-se sobretudo em sexo e parece que o enredo é apenas um artíficio para justificar o facto de eles se encontrarem e fazerem sexo. Basicamente a história resume-se a engonhanço, engonhanço, casal protagonista tem sexo, engonha-se mais um pouco para terem sexo a seguir, mistura-se um pouco de mistério que engonha mais um bocado, aproveita-se para explicar o que é a Irmandade e têm novamente sexo... e isto parece repetir-se ad nauseum.

Fartei-me um pouco do casal mal se conheceram, de tal modo que lia na diagonal sempre que estavam juntos. O resto da história, sobre a Irmandade e aqueles que querem acabar com os vampiros, apesar de mais interessante que o casal (só de pensar neles sinto vontade de revirar os olhos) mas não foi o suficiente para manter o meu interesse.

Veredito: Não acabei. Dizem que este é o mais fraquinho de toda a série, pelo que conto dar mais uma hipótese.

Há de seguir-se: The Red Necklace de Sally Gardner

8 comentários:

Ana T. disse...

Também não fiquei fan desta série nem desta autora. :-(

WhiteLady3 disse...

Eu ainda lhe vou dar mais uma hipótese, sobretudo porque dizem que tem bromance. :)

p7 disse...

Bem, eu não me lembro lá muito do primeiro livro... acho que isso diz muito. :P Mas as coisas ganham algum interesse mais para a frente (só li até ao 4º livro), e tem alguns apontamentos engraçados (quando os pessoal da Irmandade se junta temos cenas giras). Mas também leio com a noção de ser indulgente com a série, há coisas um pouco ridículas (como os nomes deles xD).

Ana T. disse...

Eu li até ao 3º e comecei a achá-los muito tipo cartoon, tipo uma caricatura do género e acabei por perder o interesse. Fiquei com vontade de revisitar a série apenas para ler o livro da Marissa (acho era esse o nome) que pelo menos na altura era uma personagem de que ninguém gostava :-)

WhiteLady3 disse...

A Marissa e o irmão até foram os que me pareceram mais interessantes neste livro. :D

Ada disse...

Também tentei ler este livro e realmente, revirei mto os olhos... não consegui terminar também. História fraca e mal trabalhada como desculpa para momentos de sexo.

Roberta Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roberta Lima disse...

Bem nos dois primeiros livros realmente a trama é fraca e entediante. Em todos os livros dessa série (o qual diga se de passagem li todos) contém cenas muito frequentes de sexo. Mas a partir do livro 3 (que a história do Zadist) o pano de fundo começa a ficar interessante. Indico a pessoas que tenham paciência pra ler todos os livros.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...