29 de janeiro de 2009

Devo dizer que não me importava de hibernar até à Primavera, porque este mês está a ser complicado. O que vale são os pequenos momentos que nos fazem rir e ajudam a passar os dias mais difíceis.

27 de janeiro de 2009

Yes Man/Sim!

Informação técnica no IMDb.

Director: Peyton Reed
Escritores: Nicholas Stoller, Jarrad Paul e Andrew Mogel (adaptação)
Actores: Jim Carrey, Zooey Deschanel, Bradley Cooper
Nota: 3/5

É mais um filme à Jim Carrey, um pouco na onda de Bruce Almighty, a que eu já não tinha achado muita piada. As melhores cenas resumem-se aquelas que são mostradas no trailer.

Quanto à história, também não é nada de novo. Carl é uma daquelas pessoas que passa a vida a adiar saídas com amigos, que não gosta de sair de casa, preferindo ficar-se pela sua rotina e trancar-se em casa a ver filmes. Temendo, no entanto, morrer solitário, frequenta uma sessão (do género da que Bob Proctor deve ter dado em Portugal, por causa de O Segredo), que tem como tema dizer “Sim!” a todos os convites/oportunidades que lhe surgem à frente e assim viver a vida. Ele sai de lá como que com um pacto feito, não só com o apresentador da sessão mas com o Universo...

Claro que a situação é levada ao exagero, sobretudo quando dizendo “não” torna-se vítima de bastantes acidentes, pelo que se transforma quase num robot que obedece, diz “sim”, a tudo o que lhe dizem e pedem. Entretanto conhece Allison, uma personagem bastante diferente de Carl e que desde sempre disse “sim!” às oportunidades que lhe surgem e que vive seguindo os seus sonhos. Quando esta tem conhecimento do pacto firmado por Carl e coloca em causa a relação de ambos.

Vê-se bem, mas não é nada demais. Na verdade, não me arrancou tantas gargalhadas assim, pelo contrário, mas não deixa de se ver bem.

25 de janeiro de 2009

Aquisições (XIV)

Acho que nunca adquiri tantos livros como na passada semana. Colocando de lado a colecção da revista Sábado, que mais uma vez vou fazer, chegaram-me às mãos esta semana:
Via blog historical-fiction.com:Compras na FNAC:
No entanto, tenho mantido a promessa que fiz a mim própria, gastar pouco dinheiro (ou mesmo nenhum) em novos livros. Até agora, só gastei perto de 9 euros! :) E não me tenho desviado da leitura da pilha, se bem que O Estranho Caso de Benjamin Button é tão pequeno, que apetece pegar nele...

20 de janeiro de 2009

Love in the Time of Cholera/Amor nos Tempos de Cólera

Informação técnica no IMDb.

Director: Mike Newell
Escritores: Ronald Harwood (adaptação), Gabriel García Márquez (romance original)
Actores: Javier Bardem, Giovanna Mezzogiorno, Benjamin Bratt
Nota: 4/5

Ainda não li o livro, mas a adaptação parece-me bem conseguida. Gostei da atmosfera, da roupa, dos veículos (sim, começo a ser entendida no que toca a seges, fiacres…), da banda sonora (Shakira magnífica), da caracterização das personagens e, claro está, da história. Se vou ler o livro? Não sei.

O ritmo é algo lento, apesar de notarmos os anos passarem, não só na caracterização das personagens mas em tudo o que rodeia, as coisas do dia-a-dia. Mas a história parece que engonha um pouco. Do romance entre Fermina e Florentino, pouco vemos, apenas no início e no fim, pelo meio não há nada mais que um Florentino a reforçar o seu voto e uma Fermina a questionar-se aqui e ali se poderia ter sido mais feliz, mas é muito pouco. Também achei interessante a maneira de Florentino preencher o seu vazio, digamos, e de se apaixonar ou sentir algo diferente por uma das suas conquistas.

É um filme que se vê bem, são cerca de duas horas bem passadas, nem que seja apenas pelo visual do filme, que é realmente apelativo. E já agora uma chamada de atenção para a representação de Fernanda Montenegro. Esta senhora não decepciona.

WALL-E

Informação técnica no IMDb.

Director: Andrew Stanton
Escritores: Andrew Stanton, Pete Docter, Jim Reardon
Actores/Vozes: Ben Burtt, Elissa Knight, Jeff Garlin, Fred Willard
Nota: 5/5

Simplesmente magnífico. Há muito tempo que não via um filme de animação que mexesse tanto comigo, penso que o último terá sido mesmo O Rei Leão. Sim, os estúdios da Disney e, posteriormente, os da Pixar ou da Dreamworks sempre fizeram coisas magníficas e contaram belas histórias, mas é impossível ficar indiferente a esta.

Num futuro (quiçá não muito) distante, encontramos WALL-E, o que parece ser o único “ser” na Terra, a desempenhar pacientemente as suas tarefas e maravilhando-se com o que vai encontrando (um pouco como um arqueólogo) no meio do lixo que compacta. Apesar de viver sozinho, ele anseia por companhia, fascinado por um filme antigo que vê, vezes sem conta. Eis que aparece EVE, com a missão de encontrar vida orgânica, de modo a perceber se a Terra se tornou novamente habitável, após os humanos a deixarem praticamente como uma lixeira. Estes vivem agora numa nave, e não deixa de ser interessante ver a evolução da espécie humana que se torna praticamente dependente de computadores e elementos electrónicos.

É incrível como dois robots conseguem mostrar tanta emoção e sentimentos humanos. WALL-E parece uma autêntica criança, muito inocente, maravilhado por tudo, e gostei de como tocou a vida dos humanos com que contactou, que até esse momento viviam como que numa redoma, numa sociedade enormemente consumista e, parece, sem qualquer tipo de contacto que não inclua um computador pelo meio. É giro ver como que acordarem para o que os rodeia.

O filme está cheio de pormenores deliciosos, começando por M-O, que se atreve a desviar do caminho traçado para limpar a sujidade que WALL-E vai largando; a barata, provando resistir a tudo e todos, e que aqui assemelha-se a um cão de estimação; a sociedade humana, praticamente obesa e sem se conseguir manter de pé; as crianças desde cedo a serem ensinadas a consumirem; os pratos do futuro, que não são comprimidos, mas uma espécie de batidos (o que é muito mais agradável); a banda sonora, tão perfeita e tão em sintonia com as imagens, com a acção, que nem nos percebemos que está lá apesar de a sentirmos…

É mais que uma história de amor, é mais que uma crítica à sociedade actual, é um abrir de olhos para o que temos ao redor, seja a Terra ou a pessoa ao nosso lado, e que devemos cuidar com todo o carinho e atenção.

JCVD

Informação técnica no IMDb

Director: Mabrouk El Mechri
Escritores: Frédéric Bénudis, Mabrouk El Mechri, Christophe Turpin
Actores: Jean-Claude Van Damme
Nota: 3.5/5

Sim, é verdade eu gosto de filmes de filmes de porrada. Há aqueles momentos em que queremos ver comédias românticas, momentos em que queremos ver filmes dramáticos (inspiradores), há momentos em que queremos ver épicos. Bem, eu também tenho momentos em que quero ver filmes de porrada. Acho que os anos 80/90 foram geniais neste tipo de filmes e sim, Jean-Claude Van Damme era um dos melhores. No entanto a idade não perdoa, assim como algumas más escolhas, seja de trabalho como más opções que se toma na vida, o que é certo é que este actor apagou-se e, tirando um filme fraquito (Second in Command) e um documentário que deu há meses na TvCabo, nunca mais tinha ouvido falar dele. Até que me deparo com este filme que o meu irmão fez questão de apontar.

JCVD não é mais que um filme sobre Jean-Claude Van Damme! Mas desenganem-se se estão à espera de um daqueles (saudosos) filmes de porrada non-stop, há porrada mas pouca, como disse, afinal a idade não perdoa, apesar de ele ainda parecer estar em forma (tomara a pessoas com a idade dele estarem como ele está).

O filme tenta ser um documentário sobre os últimos anos do actor, que não sei se é verdade ou não, mas serve como fio condutor da história: perde a custódia da filha, não consegue arranjar um trabalho que o faça voltar a ter a projecção cinematográfica que tinha nos anos 90, está completamente nas lonas e apesar disso tudo não deixa de ser amado pelos fãs, que por vezes dão imenso trabalho. No meio disto é acusado de assaltar um banco/posto de correios.

Não é nada de especial mas mostra uma versão completamente diferente do Van Damme a que uma pessoa está habituada. De salientar o monólogo, que mais parece uma confissão, o apelo de alguém desesperado que subiu bem alto bastante depressa e caiu também num ápice.

Surpreendeu.

18 de janeiro de 2009

Perguntem a Evans / Parker Pyne Investiga

Autor: Agatha Christie
Género: Mistério
Editora: Livros do Brasil “Colecção Vampiro Gigante” | Nº de páginas: 467
Nota: 4/5 | 3/5

Opinião: O título da primeira história em inglês é muito mais apelativo, “Why didn't they ask Evans?” São estas as últimas palavras de um moribundo que Bobby Jones encontra, no fundo de uma arriba, enquanto jogava golfe e a quem não daria mais um único pensamento se não se transformasse ele também numa vítima. Com a ajuda da sua amiga Lady Frances, encetam então uma jornada para descobrir o que está então por trás de tal tragédia.

Sendo uma história de Agatha Christie, é de esperar twists e reviravoltas inesperadas. Mais uma vez ela ilude e guia-nos habilmente através de várias pistas, que tanto nos aproximam como afastam do verdadeiro culpado.

A segunda parte consiste em 12 contos que têm como protagonista Parker Pyne. Nos primeiros 6 ele participa forma indirecta, já que ele apenas toma conhecimento dos casos e arranja depois o que é necessário para os mesmos sem se envolver directamente. Já as restantes 6 histórias envolvem-no de forma directa, já que em férias é abordado, nos vários locais por onde passa, pelos seus companheiros de viagem para que este resolva os problemas que vão surgindo.

Gostei sobretudo dos contos O Preço da Pérola, que tem uma citação curiosa sobre arqueólogos, e O Oráculo de Delfos. Os restantes casos têm também algum interesse mas não envolvem tanto o leitor como outras histórias da autora.

Aquisições (XIII)

Oferecido:Via BookMooch:Empréstimo BLX:

Resta dizer que esta semana também coloquei a minha mão na edição de Contos de Eça de Queirós, que andava perdida numa das estantes da casa da minha avó. :D

13 de janeiro de 2009

Harry Potter and the Philosopher's Stone (Harry Potter, Livro 1) [áudio-livro]

Autor: J.K. Rowling; Stephen Fry (narrador)
Género: Fantasia
Editora: Cover to Cover Cassettes Ltd | Nº de páginas: -
Nota: 4/5

Resumo (do site Amazon.co.uk): There was a shower of shooting stars when Harry Potter was born - weathermen all over our world of Muggles were amazed. But in the other world, the Ministry of Magic wasn't surprised at all. For Harry Potter was to be one of its finest and most famous wizards.

Brought by flying motorcycle to live with his horrible Uncle Vernon and Aunt Petunia and their truly terrible son Dudley. Harry lives unhappily until his eleventh birthday. He is rescued by the magic, if somewhat disorganised, messenger Hagrid, and taken to Hogwart's School of Witchcraft and Wizardry.


Opinião: Para dizer a verdade, já perdi a conta a quantas vezes reli este livro, provavelmente esta foi a quarta ou a quinta vez, mas foi a primeira em que “li” em inglês. Se calhar advém desse facto o sentimento de “descoberta”, muito semelhante ao da primeira vez que li o livro, apesar de já saber a história de trás para a frente.

É notório o tom infantil, mas acho que é isso que J.K. Rowling tem de bom como escritora. Ela apresenta-nos uma personagem bastante jovem, mas fá-la crescer ao longo dos livros, e o mesmo acontece com os leitores. Apesar de já ser crescidinha, o tom infantil fez-me sentir criança outra vez e foi agradável ouvir sobre feiticeiros bons e maus, unicórnios e dragões, personagens fantásticas que apelam à imaginação de todas as crianças. Mesmo assim, nota-se que existe um tom negro por trás e que se vem a reforçar nos livros seguintes. Mas para ponto de partida é genial. Esta série, e este livro que já li e reli vezes sem conta, continua a surpreender-me a cada nova leitura. Não consigo ficar indiferente.

Stephen Fry é um excelente actor e aqui faz um brilhante trabalho como narrador. É fácil identificar as personagens e os sentimentos nas várias vozes que faz.

11 de janeiro de 2009

Great Buddy Award

Ana T. do blog Aneca's World foi muito simpática ao atribuir-me este prémio na página que tenho no LJ.

The rules:

1. Put the logo on your blog.
2. Add a link to the person who awarded you.
3. Award up to ten other blogs.
4. Add links to those blogs on yours.
5. Leave a message for your awardees on their blogs.


Gostava então de premiar também to:
Julie do blog Outlandish Dreaming
Slayra do blog Livros, Livros e mais Livros
Nefertiri do blog Nefertiri's Book Blog
Canochinha, Cristina and Menphis, a equipa do blog Estante de Livros
Iceman do blog N Livros
Pedro do blog O Cantinho do Bookoholic
Morah do blog Literaturismos e afins...
Isabel Maia do blog Na Companhia dos Livros

Primeiras aquisições de 2009

Via BookMooch:Compra através do site Mistério Juvenil:

10 de janeiro de 2009

Pilha de livros

Já que tive de tirar umas fotografias ao livro que estou a ler, porque de outra maneira não tenho uma imagem para colocar ali ao lado, resolvi também tirar uma foto à pilha de livros que se encontra na minha mesinha de cabeceira, ameaçando tombar para cima de mim todas as noites...Achei que ter os livros numa pilha destas, faria com que não me desviasse do plano de leituras e ajudaria a que eu (finalmente!) chegasse a ler os livros que tenho cá por casa. Por isso, talvez com uma ou outra excepção, estes serão os livros que me vão acompanhar durante estes meses que se seguem. Depois, seguir-se-á outra pilha semelhante...

O Terceiro Passo

Autor: Christopher Priest
Género: Thriller
Editora: Saída de Emergência | Nº de páginas: 310
Nota: 4/5

Resumo (da capa): O Prestígio é uma história de segredos obsessivos e curiosidades insaciáveis. Actuando nas luxuosas salas de espectáculos vitorianas, dois mágicos entram num feudo amargo e cruel, cujos efeitos podem ser sentidos pelas respectivas famílias mais de um século depois.

Os dois homens assombram a vida um do outro, levados ao extremo pelo mistério de uma espantosa ilusão que ambos fazem em palco. O segredo da magia é simples, mas para os antagonistas o verdadeiro mistério é outro, pois ambos os homens têm mais a esconder do que apenas os truques da sua ilusão.

Opinião: Devo dizer que nunca fui muito fascinada pela magia apesar de gostar de ver os ilusionistas a fazerem truques, de vez em quando. Este livro, bem como o filme recente com Hugh Jackman e Christian Bale (que ainda não tive oportunidade de ver), nunca suscitaram por isso o meu grande interesse. Penso mesmo que nunca teria lido este livro se não me tivesse cruzado com ele no BookMooch ou não estivesse a ser transmitido um programa sobre este tema na Sic.

Apesar de ter gostado da leitura, acho que realmente como filme esta história poderá funcionar melhor, já que os efeitos visuais dos truques descritos provocam, com certeza, uma maior emoção quando vistos do que quando imaginados. Mas o autor fez um trabalho excelente em termos de caracterização das personagens, e é nisso que o livro porventura ganha, já que a história é contada sob o ponto de vista dos vários protagonistas.

A história começa no século XX, nos anos 80 parece-me, sob o ponto de vista de um dos herdeiros dos dois ilusionistas de época vitoriana que, por determinadas razões, se tornam inimigos. Este, contactado para uma entrevista, trava conhecimento com uma descendente do ilusionista rival e assim encetam uma jornada que visa colocar um fim à rivalidade entre as famílias. É desta maneira que o leitor se cruza então com os relatos dos ilusionistas rivais e ficamos a conhecer os vários motivos da discórdia e que segredos guardavam estes e como esses condicionaram as suas vidas. Se o segredo de um é fácil de descortinar, o outro não deixa de surpreender.

O final, no entanto, não me satisfez por aí além, talvez por ser algo previsível. A leitura não deixa de ser agradável, como disse, mas acho que como adaptação cinematográfica pode ganhar mais vida, envolvendo-nos mais nas ilusões e deixando-nos mais expectantes pelas conclusões das mesmas.

4 de janeiro de 2009

The Count of Monte Cristo [áudio-livro]

Autor: Alexandre Dumas; Richard Matthews (narrador)
Género: Romance
Editora: Books On Tape | Nº de páginas: -
Nota: 5/5

Resumo (do site Publicações Europa-América): A história de um homem bom a quem roubam os dois maiores bens que possuía: a liberdade e o amor. Edmond Dantès é um jovem marinheiro injustamente acusado de ser partidário de Bonaparte. Preso durante 15 anos, é no cativeiro que trava amizade com o abade Faria — o homem que o ajudará na fuga e lhe deixará um imenso tesouro. Julgando-se acima de toda a lei humana ou divina, regressa, impiedoso, para recuperar a mulher amada e vingar-se dos seus inimigos.

Opinião: Já o tinha lido há algum tempo e, como de momento não tenho o livro cá em casa, resolvi então ouvir o áudio-livro. É simplesmente magnífico.

O facto de o ter lido anteriormente não lhe tira nenhuma beleza, pelo contrário, acho que ainda me fez gostar mais do livro. Não penso que seja um livro sobre vingança, acho que tem mais de esperança que de vingança. É a esperança de se vingar que mantém Dantès vivo em Château d'If. É a esperança de escrever direito por linhas tortas, de corrigir os males que determinados personagens fizeram, que move a vingança.

Esta é então a história de Edmond Dantès que tinha um futuro brilhante à sua frente, no momento de sua prisão: ia ser promovido e casar-se com a mulher que amava, mas por inveja, um grupo de “amigos” decide denunciá-lo como apoiante de Bonaparte e o juiz, por perceber que o apoiante é outro, encarcera-o em Château d’If. Aí, trava conhecimento com o Abade Faria, que lhe deixa, para quando conseguir escapar, o seu tesouro. É desta maneira que Edmond se torna no Conde, um homem com uma mente brilhante, inteligente, com posses mais que suficientes para começar uma nova vida, e enceta então a sua vingança. Volta a ter um novo futuro, ainda mais brilhante que o anterior à sua frente, mas dedica os seus esforços a uma vingança. Dantès é uma personagem notável, como todas as outras, e acho marcante a introspecção dele, quando questiona a própria vingança, pois nós não podemos também deixar de questionar quando a vingança não atinge só os culpados, mas aqueles que os rodeiam que, apesar de poderem ser também culpados por outras acções, não interferiram activamente na vida, ou na desgraça por assim dizer, de Edmond. Encontra-se então perante uma questão: continuar preso ao passado ou aproveitar ao máximo o futuro? A nova oportunidade de vida que lhe foi dada?

Neste áudio-livro o narrador faz um óptimo trabalho, sobretudo no que toca a transmitir a emoção com que algumas personagens dizem os seus diálogos, acrescentando mais alguma coisa à “leitura”. Como disse, simplesmente magnífico.

2 de janeiro de 2009

The Highlander's Touch (The Highlander Series, Livro 3)

Autor: Karen Marie Moning
Género: Romance histórico
Editora: Dell | Nº de páginas: 354
Nota: 3/5

Resumo (da capa): He would defy the boundaries of time for one night in her arms…

A WARRIOR OF IMMORTAL POWERS

He was a mighty Scottish warrior who lived in a world bound by ancient laws and timeless magic. But no immortal powers could prepare the laird of Castle Brodie for the lovely accursed lass who stood before him. A terrible trick of fate had sent her 700 years back in time and into his private chamber to tempt him with her beauty – and seduce him with a desire he could never fulfill. For this woman he burned to possess was also the woman he had foresworn to destroy.

A WOMAN CAUGHT IN THE MISTS OF TIME

When Lisa felt the earth move under her feet, the fiercely independent 21st-century woman never dreamed she was falling... into another century. But the powerful, naked warrior who stood glaring down at her was only too real... and too dangerously arousing. Irresistibly handsome he might be, but Lisa had no intention of remaining in this savage land torn by treachery and war. How could she know that her seductive captor had other plans for her... plans that would save her from a tragic fate? Or that this man who had long ago forsaken love would defy time itself to claim her for his own...

Opinião: Mais uma vez, este segue os passos dos livros anteriores, mas finalmente as personagens têm batalhas interiores! E há história pelo meio, só um cheirinho mas esta lá.

Desta vez voltamos a encontrar-nos com Adam Black, a única personagem que posso afirmar que gosto, sendo que este não consegue estar sossegado, tem de andar sempre a mexer com a vida de alguém. Desta vez o alvo é Circeen Brodie, que tem a seu cargo Relíquias Sagradas. Tendo perdido uma destas, e tendo sido instruído por Adam, Circeen amaldiçoa a relíquia que trará, quem lhe tocar, até Circeen. Ele só não sabia é que consequências isso poderia trazer e é desta maneira que Lisa Stone se vê atirada do séc. XXI para o séc. XIV.

Como disse, finalmente estas personagens têm batalhas interiores com que podemos facilmente nos identificar. Ok, talvez não tanto no caso de Circeen, mas conseguimos identificar-nos com Lisa, uma mulher do séc. XXI que trabalha bastante para sustentar a sua casa e a sua mãe doente, e que é inteligente, forte, ao contrário das anteriores que se definiam pela quantidade de vezes que sentiam as pernas a tremerem diante dos personagens masculinos. A ela também lhe tremem as pernas, mas ela questiona o porquê de ter viajado no tempo e se pode voltar ao seu século, para cuidar da sua mãe e continuar a sua vida.

Finalmente temos também história, se bem que esta, infelizmente, não é muito aprofundada. Encontramos em plena guerra pela independência da Escócia, estando de um lado Robert I da Escócia e do outro Eduardo II de Inglaterra, nas vésperas da batalha de Bannockburn. Além disso, temos também um pouco da história dos Templários que, após a dissolução da ordem por Bula Papal, teriam fugido para a Escócia, onde governava um rei excomungado pelo Papa.

Melhor que os anteriores e mais perto daquilo que eu esperava desta autora. Mesmo assim, ainda não foi desta que realmente me convenceu. Talvez seja da época do ano (acho que este é o tipo de livro mais para ler em férias, na praia) ou do facto de ter lido um grandioso livro antes destes, nunca chegaram a encher-me as medidas.

Livros - 2009

Janeiro:
1. The Highlander's Touch (The Highlander Series, Livro 3) por Karen Marie Moning - 3/5
2. (*)The Count of Monte Cristo [áudio-livro] por Alexandre Dumas, lido por Richard Matthews - 5/5
3. O Terceiro Passo por Christopher Priest - 4/5
4. D. João V por Maria Beatriz Nizza da Silva - 4/5
5. (*)Harry Potter and the Philosopher's Stone (Harry Potter, Livro 1) [áudio-livro] por J.K. Rowling, lido por Stephen Fry - 4/5
6. Perguntem a Evans / Parker Pyne Investiga por Agatha Christie - 4/5 | 3/5

Fevereiro:
7. Tom Clancy's Op-Center: Mirror Image por Tom Clancy, Steve Pieczenik e Jeff Rovin - 3/5
8. D. José por Nuno Gonçalo Monteiro - 4/5
9. (*)Harry Potter and the Chamber of Secrets (Harry Potter, Livro 2) [áudio-livro] por J.K. Rowling, lido por Stephen Fry - 4/5
10. Contos por Eça de Queirós - 4/5
11. Mansfield Park por Jane Austen - 3/5

Março:
12. The Princess Bride por William Goldman - 4/5
13. D. Maria I por Luís de Oliveira Ramos - 4/5
14. Marley & Eu: A vida e o amor do pior cão do mundo por John Grogan - 4/5
15. (*)Harry Potter and the Prisoner of Azkaban (Harry Potter, Livro 3) [áudio-livro] por J.K. Rowling, lido por Stephen Fry - 4/5
16. 1808: Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal e do Brasil por Laurentino Gomes - 4/5
17. Magic Study (Study Trilogy, Livro 2) por Maria V. Snyder - 4/5
18. Fire Study (Study Trilogy, Livro 3) por Maria V. Snyder - 2/5

Abril:
19. Silent in the Grave por Deanna Raybourn - 3/5
20. The Talisman por Stephen King e Peter Straub - 5/5
21. (*)Harry Potter and the Goblet of Fire (Harry Potter, Livro 4) [áudio-livro] por J.K. Rowling, lido por Stephen Fry - 5/5
22. D. João VI por Fernando Dores Costa e Jorge Pedreira - 4/5

Maio:
23. (*)Harry Potter and the Order of the Phoenix (Harry Potter, Livro 5) [áudio-livro] por J.K. Rowling, lido por Stephen Fry - 3/5
24. Causas de morte de D. João VI com coordenação de F.E. Rodrigues Ferreira - 4/5
25. Lolita por Vladimir Nabokov - 4/5
26. Daniel Deronda por George Eliot - 5/5

Junho:
27. Crepúsculo (Luz e Escuridão, Livro 1) por Stephenie Meyer - 3/5
28. Lua Nova (Luz e Escuridão, Livro 2) por Stephenie Meyer - 3/5
29. D. Pedro IV por Eugénio dos Santos - 4/5
30. Eclipse (Luz e Escuridão, Livro 3) por Stephenie Meyer - 2/5
31. Breaking Dawn (Luz e Escuridão, Livro 4) por Stephenie Meyer - 2/5
32. (*)Harry Potter and the Half-Blood Prince (Harry Potter, Livro 6) [áudio-livro] por J.K. Rowling, lido por Stephen Fry - 4/5
33. Nefertiti por Nick Drake - 2/5
34. História de uma cidade por Debbie Macomber - 3/5

Julho:
35. Son of the Morning por Linda Howard - 4/5
36. Her Scandalous Affair por Candice Hern - 3/5
37. The Jane Austen Book Club por Karen Joy Fowler - 2/5
38. A Linguagem Secreta da Arte por Sarah Carr-Gomm - 4/5
39. Drácula por Bram Stoker - 4/5

Agosto:
40. Drums of Autumn (Outlander, Livro 4) por Diana Gabaldon - 3/5
41. Pride and Prejudice and Zombies por Seth Grahame-Smith e Jane Austen - 3/5
42. Aristotle Detective (Série Aristóteles, Livro 1) por Margaret Doody - 4/5
43. A Justiça de Aristóteles (Série Aristóteles, Livro 2) por Margaret Doody - 4/5
44. Pompeii por Richard Harris - 5/5

Setembro:
45. A Fragrância da Flor do Café por Ana Veloso - 2/5
46. O Labirinto da Rosa por Titania Hardie - 3/5
47. Uglies (Uglies, Livro 1) por Scott Westerfeld - 4/5
48. Pretties (Uglies, Livro 2) por Scott Westerfeld - 4/5
49. Specials (Uglies, Livro 3) por Scott Westerfeld - 3/5
50. Extras (Uglies, Livro 4) por Scott Westerfeld - 4/5

Outubro:
51. O Império dos Pardais por João Paulo Oliveira e Costa - 4/5
52. North and South por Elizabeth Gaskell - 5/5

Novembro:
53. The Poyson Garden (Elizabeth I Mysteries, Livro 1) por Karen Harper - 2/5
54. (*)Harry Potter and the Deathly Hallows (Harry Potter, Livro 7) [áudio-livro] por J.K. Rowling, lido por Stephen Fry - 5/5
55. (*)The Lion, the Witch and the Wardrobe (The Chronicles of Narnia) [áudio-livro] por C.S. Lewis, lido por Maurice Denham & Cast (BBC Radio Collection: Chronicles of Narnia) - 4/5
56. The Tidal Poole (Elizabeth I Mysteries, Livro 2) por Karen Harper - 2/5
57. (*)Prince Caspian (The Chronicles of Narnia) [áudio-livro] por C.S. Lewis, lido por Maurice Denham & Cast (BBC Radio Collection: Chronicles of Narnia) - 4/5
58. (*)The Voyage of the Dawn Treader (The Chronicles of Narnia) [áudio-livro] por C.S. Lewis, lido por Maurice Denham & Cast (BBC Radio Collection: Chronicles of Narnia) - 5/5
59. The Twylight Tower (Elizabeth I Mysteries, Book 3) por Karen Harper - 2/5
60. O homem dos seus sonhos por Nora Roberts - 2/5

Dezembro:
61. Midnight Sun (Luz e Escuridão, Livro 5) por Stephenie Meyer - 1/5
62. Guinevere, A Rainha do País do Verão(Trilogia Guinevere, Livro 1) por Rosalind Miles - 3/5
63. (*)The Silver Chair (The Chronicles of Narnia) [áudio-livro] por C.S. Lewis, lido por Maurice Denham & Cast (BBC Radio Collection: Chronicles of Narnia) - 5/5
64. (*)The Horse and His Boy (The Chronicles of Narnia) [áudio-livro] por C.S. Lewis, lido por Maurice Denham & Cast (BBC Radio Collection: Chronicles of Narnia) - 4/5
65. (*)The Magician's Nephew (The Chronicles of Narnia) [áudio-livro] por C.S. Lewis, lido por Maurice Denham & Cast (BBC Radio Collection: Chronicles of Narnia) - 5/5
66. (*)The Last Battle (The Chronicles of Narnia) [áudio-livro] por C.S. Lewis, lido por Maurice Denham & Cast (BBC Radio Collection: Chronicles of Narnia) - 5/5
67. Austenland [áudio-livro] por Shannon Hale, lido por Katherine Kellgren - 3/5

Notas:
1- odiei / 2- não gostei / 3- ok / 4- gostei / 5- adorei

P.S.: Os títulos dos livros encontram-se por ordem de leitura e na língua em que os li/ouvi. Assim, os que possuem o título em inglês foram lidos nessa língua.

(*) - indica que foi relido.

1 de janeiro de 2009

Feliz 2009!


Pois é, já cá está o novo ano. Espero que seja tão bom ou melhor que o anterior, cheio de saúde e paz!

Quanto a resoluções, não tenho muitas. Acho que se centram à volta dos desafios literários, já que 2008 trouxe mudanças a alguns níveis que eu agora gostaria que estabilizassem.

Bom Ano Novo!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...